Tudo que você precisa saber sobre remédios para dormir

Dr. Luan Diego
,
28 de julho de 2020

É o meio da noite e você está olhando para o teto, pensando no trabalho, nas contas ou nas crianças. Quando o sono simplesmente não chega, é tentador recorrer a um remédio para dormir. 

Mas se você tem problemas para dormir regularmente, é sinal de que algo está errado. Pode ser algo tão simples quanto muita cafeína, excesso de celular ou outros aparelhos eletrônicos. 

No artigo de hoje você irá conhecer sobre medicamentos prescritos com e sem receita para dormir, bem como tratamentos eficazes para insônia.

Quais são os melhores remédios para dormir que você pode utilizar?

Como já citamos a insônia pode ser só um sintoma de um problema médico ou psicológico subjacente.

Mas seja o que for, não será curado só com com remédios para dormir. Na melhor das hipóteses, os remédios para dormir são um suporte temporário. Na pior das hipóteses, eles são uma muleta viciante que pode piorar a insônia a longo prazo.

Isso não significa que você nunca deve usar medicamentos, mas é importante avaliar os benefícios e os riscos com um médico. 

Em geral, remédios para dormir são mais eficazes quando usados ​​com moderação em situações de curto prazo, como viajar através de fusos horários ou recuperar-se de um procedimento médico.

Se você optar por tomar remédios para dormir a longo prazo, é melhor usá-los apenas com base em uma prescrição médica para evitar dependência e tolerância.

Riscos dos remédios para dormir

Todos os remédios para dormir possuem efeitos colaterais, que variam dependendo do medicamento específico, da dosagem e da duração do medicamento em seu organismo. 

Os efeitos colaterais comuns incluem sonolência prolongada no dia seguinte, dor de cabeça, dores musculares, prisão de ventre, boca seca, dificuldade de concentração, tontura, instabilidade e insônia por rebote.

Riscos específicos

Tolerância 

Você pode, por um período de tempo, aumentar a tolerância aos remédios de dormir e precisará de mais e mais para que estes funcionem, o que, por sua vez, pode levar a mais efeitos colaterais.

Dependência 

Você pode construir uma fixação seja psicológica ou química constante dos remédios para dormir. 

Acreditar que só irá dormir com os remédios passando a desenvolver noites muito angustiantes e com a qualidade do sono ruim quando está sem eles. 

Existem alguns remédios para dormir em particular que podem ser muito viciantes, dificultando a interrupção do uso. 

Sintomas de abstinência. 

Se você interromper o medicamento abruptamente, poderá ter sintomas de abstinência, que são efeitos ruins no corpo como náusea, suor excessivo, ansiedade e tremores.

Interações medicamentosas

Remédios para dormir podem interagir com outros medicamentos. Isso pode piorar os efeitos colaterais e às vezes ser perigoso, especialmente com analgésicos prescritos e outros remédios que interferem na qualidade de sono.

Efeito rebote 

Se você precisar parar de tomar um remédio para dormir, às vezes a insônia pode se tornar ainda pior do que antes, isso se chama efeito rebote e é muito importante avisar seu médico caso isso ocorra. 

Camuflar outra problema médico

É importante você saber que a falta de sono, muitas vezes, é apenas um sintoma que sinaliza outros problemas médicos ou até hormonais, se você apenas utiliza remédios para insônia você pode mascarar outras doenças.

11 remédios  para dormir que precisam de receita controlada

Remédios para dormir que precisam de receita

Existem vários tipos diferentes de remédios para insônia, classificados como hipnóticos sedativos. Em geral, esses medicamentos atuam trabalhando nos receptores do cérebro para desacelerar o sistema nervoso. 

Alguns medicamentos são usados ​​mais para induzir o sono, enquanto outros são usados ​​para manter o sono.

Alguns duram mais do que outros em seu organismo, esse tempo é medido pela "meia-vida" de cada substância, que é o tempo que seu organismo leva para reduzir a quantidade da substância pela metade. Ou seja, quanto menor a meia vida, mais rápido esse remédio sai do seu organismo.

 Vamos falar um pouco sobre cada um deles. Veja nos tópicos a seguir.

Trazodona

A trazodona é um antidepressivo atípico com ação semelhante aos benzodiazepínicos e antidepressivos tricíclicos. O medicamento atua contra a depressão, ansiedade e insônia. Quando utilizado em doses mais baixas é um bom indutor de sono em pessoas que também sofrem dessas outras patologias.

LEIA TAMBÉM
👉 3 formas de como funcionam remédios antidepressivos
👉 Conheça os 8 tipos de Depressão e seus sintomas

Amitriptilina

Da classe dos antidepressivos tricíclicos, a amitriptilina inibe a recaptação da serotonina e da norepinefrina no cérebro. Além disso, ajuda a melhorar o humor e a diminuir a ansiedade. 

O medicamento causa sono e sedação como efeito colateral, o que permite seu uso como hipnótico. Embora o efeito antidepressivo demore de 2 a 4 semanas para surgir, é comum que os pacientes relatem uma melhoria imediata nas noites de sono. 

Quando utilizado em doses baixas ele apenas auxilia no sono, sem causar ganho na ansiedade ou depressão. 

Lorazepam

O Lorazepam pertence à classe dos benzodiazepínicos e pode ser usado para o tratamento de ansiedade, abstinência alcoólica, convulsões e insônia. Seu efeito é rápido, mas duradouro. Além disso, permite o controle da insônia durante a noite toda.  

No longo prazo, no entanto, esse medicamento provoca dependência e sintomas de abstinência ao ser suspenso. Por isso, é importante que ele e os outros benzodiazepínicos sejam usados por períodos curtos.

Também devem ser combinados com medidas de higiene do sono e terapia cognitivo-comportamental para que a insônia crônica possa ser resolvida.

Clonazepam

Um dos benzodiazepínicos mais utilizados, o clonazepam, o famoso Rivotril® é um remédio para dormir que tem efeito tranquilizante e sedativo. Com isso, ajuda no relaxamento muscular e no término de crises convulsivas.

É um medicamento com elevado risco de dependência química e, apesar de gerar sonolência, não permite um sono com qualidade. Pacientes costumam relatar ressaca e "moleza"no dia seguinte. 

Nortriptilina

Assim como a amitriptilina, a nortriptilina é um antidepressivo tricíclico com efeitos colaterais hipnóticos. A escolha por medicamentos dessa classe, no entanto, é feita quando o paciente apresenta depressão associada à insônia. 

A classe dos antidepressivos tricíclicos possuem diversos efeitos colaterais negativos também como aumento do apetite, boca seca, problemas urinários e sonolência diurna. 

A Nortriptilina possui uma vantagem pois ela auxilia em pacientes que apresentam enxaqueca, por auxiliar na diminuição da dor. 

Zolpidem

O zolpidem é um medicamento novo derivado da imidazopiridina, que permitiu o tratamento da insônia sem os elevados efeitos colaterais dos benzodiazepínicos. 

Apesar de também agir no receptor do GABA, seu mecanismo de ação é diferente e sua ação principal é a indução do sono, sem alterar sua estrutura, causar dependência ou abstinência. 

Esta classe deve ser utilizada por curtos períodos para evitar o risco de dependência. É um bom remédio para jet lag. 

Eszopiclona

A eszopiclona tem como principal ação a manutenção do sono durante a noite, mas também tem propriedades ansiolíticas, anticonvulsivantes e relaxantes musculares.

Além de não alterar a estrutura do sono, a eszopiclona gera um efeito de dependência e abstinência menor do que os benzodiazepínicos.

Apesar de todas essas vantagens, ela costuma provocar um gosto amargo na boca, o que reduz a aderência ao tratamento. 

Remalteona

A inovação da Remalteona está em seu mecanismo de ação. 

Enquanto a maioria dos medicamentos contra insônia trabalham desacelerando o sistema nervoso central, a ramelteona imita a melatonina, um químico que contribui para a regulação do ciclo natural de sono-vigília (ciclo circadiano) do corpo.

A remalteona é um medicamento novo e que foi regulamentado pela Anvisa em 2017, conforme mostra uma reportagem publicada na revista Veja. Ele é recomendado para as pessoas que têm dificuldades em iniciar o sono. 

Alprazolam

A insônia, conforme já dissemos, é causada principalmente por conta de quadros de ansiedade, e é justamente para esse tipo de tratamento que os médicos recomendam o uso do alprazolam.

Esse remédio é indicado para que a ansiedade seja tratada, principalmente nos casos em que o transtorno está relacionado a outros fatores como a abstinência de álcool e outras drogas, transtorno do pânico etc. 

O Alprazolam se usado diariamente sem um plano terapêutico com um médico possui um elevado risco de dependência química. 

Mirtazapina

Mirtazapina é um antidepressivo tetracíclico que aumenta a quantidade de serotonina e noradrenalina, associado às funções executivas e dores físicas, no neurônio. Esse aumento dos neurotransmissores gera melhoras nos sintomas da depressão e também ajudam pacientes com insônia.  

Costuma ser mais rápido do que outros antidepressivos. Os efeitos positivos já começam a surgir entre 2 a 4 semanas. É um antidepressivo que pode gerar ganho de peso em alguns pacientes. 

Quetiapina

A quetiapina é um antipsicótico atípico. É usada para tratar insônia, esquizofrenia, quadros de depressão, ansiedade e transtorno bipolar. 

A quetiapina age de forma diferente em cada região do cérebro. Nas áreas centrais, ela bloqueia a dopamina, assim, diminui sintomas de insônia, irritabilidade, ansiedade e controla também o impulso.

É um medicamento muito moderno, que pode ser utilizado nas doses entre 25mg até 800mg. Doses baixas tendem a ser suficientes para melhorar os quadros de insônia. 

Remédios para dormir que possuem benzodiazepínicos

Os benzodiazepínicos são a classe mais antiga de medicamentos para dormir ainda em uso. 

Pensa-se que os benzodiazepínicos como um grupo têm maior risco de dependência do que outros hipnóticos sedativos para insônia e são classificados como substâncias controladas com receita Azul tipo B. 

Usado principalmente para tratar distúrbios de ansiedade, os benzodiazepínicos não são a melhor escolha para tratamento  da insônia. 

⚠️ Utilizar o clonazepam para dormir é um hábito muito comum e é um dos remédios controlados mais utilizados, porém na maioria dos casos seu uso é inadequado e pode piorar sua insônia.

Desvantagens dos benzodiazepínicos

Você pode se tornar fisicamente e psicologicamente dependente deles. 

Quando você toma remédios para dormir por um período de tempo, você pode acreditar que não conseguirá mais dormir sem eles: perigo!

Essas medicações podem perder sua potência se usadas todas as noites, porque os receptores cerebrais se tornam menos sensíveis a seus efeitos com o tempo. 

A qualidade geral do seu sono pode ser reduzida, com menos sono profundo restaurador e menos sono REM.

No dia seguinte, você pode se sentir com lentidão dos pensamentos e sonolência (o efeito da ressaca).

Alguns medicamentos mais novos não têm a mesma estrutura química que um benzodiazepínico, mas atuam na mesma área do cérebro. 

É o famoso Zolpidem que pode ser tão perigoso quanto os benzodiazepínicos se não usados corretamente. 

Remédios para dormir que não precisam de receita

Remédios para dormir que não precisam de receita

Muitas pessoas procuram um remédio natural para dormir e, em algumas vezes, medicamentos que podem gerar sono e que não necessitam de receita médica padrão.

Apesar disso é importante ter cuidado pois seu uso pode configurar  riscos a saúde e gerar outros prejuízos. 

Os remédios para dormir que não precisam de receita incluem os anti-histamínicos como seu principal ingrediente ativo para promover a sonolência.

LEIA TAMBÉM
👉 Remédios para dormir: mitos e verdade
👉 Como lidar com a ansiedade em tempos de pandemia

Fenergan para dormir?

Os medicamentos anti-histamínicos (como o Polaramine® ou Fenergan®), antivertiginosos e antinauseantes (como o Dramin® ou Plasil®) são frequentemente utilizados por pessoas com distúrbios do sono. 

Há quem acredite que estes medicamentos podem ser utilizados com o intuito de tratar a insônia, mas, na realidade, eles podem acarretar consequências negativas para o paciente.

O problema com os anti-histamínicos é que suas propriedades sedativas geralmente duram até o dia seguinte, levando a um efeito de ressaca no paciente.  

Quando usados ​​a longo prazo, também podem causar esquecimentos, problemas neurológicos  e dores de cabeça. 

Devido a esses problemas, não recomendo seu uso regular. 

Efeitos colaterais comuns de remédios  anti-histamínicos para dormir:

  • Sonolência moderada a grave no dia seguinte
  • Tontura e esquecimento
  • Desajeitado, desequilíbrio
  • Constipação e retenção urinária
  • Visão embaçada
  • Boca e garganta secas
  • Náusea

Quais são os remédios naturais para dormir?

Remédios naturais para dormir

É importante dizer que a Anvisa não regula todos os processos de segurança, qualidade, eficácia ou mesmo que as promessas dos rótulos são verdade. 

Embora as evidências sejam variadas, os seguintes suplementos têm mais pesquisas para apoiá-los como tratamento da insônia.

Valeriana

A valeriana é uma erva sedativa que tem sido usada desde o século II dC para tratar insônia e ansiedade. Acredita-se que funcione aumentando os níveis cerebrais químicos de um neurotransmissor chamado GABA. 

Embora o uso de valeriana para insônia não tenha sido extensivamente estudado, a pesquisa mostra-se promissora e geralmente é considerada segura e não habitual. Funciona melhor quando tomado diariamente por duas ou mais semanas.

Melatonina

A melatonina é um hormônio que ocorre naturalmente e aumenta à noite. É desencadeado pela escuridão e seus níveis permanecem elevados durante a noite até serem suprimidos pela luz da manhã. 

⚠️ Não confunda tomar melatonina e utilizar um agonista de melatonina, o primeiro não tem estudos consistentes que comprovem sua eficácia.  

Se você tomar melatonina, saiba que ele pode interferir com certos medicamentos para pressão arterial e diabetes. 

É melhor ficar com doses baixas - 1 a 3 mg para a maioria das pessoas - para minimizar os efeitos colaterais e a sonolência no dia seguinte.

Camomila

Muitas pessoas bebem chá de camomila por suas propriedades sedativas suaves, embora possa causar reações alérgicas em pessoas com alergias à planta ou pólen. 

Para obter o benefício total da promoção do sono, deixe ferver a água e adicione 2-3 saquinhos de chá (ou o equivalente ao chá de folhas soltas), cubra com uma tampa e cozinhe por 10 minutos.

Triptofano

O triptofano é um aminoácido básico usado na formação do mensageiro químico serotonina, uma substância no cérebro que pode ajudar pessoas com problemas para dormir.

 O L-triptofano é um subproduto comum do triptofano, que o corpo pode transformar em serotonina. Alguns estudos mostraram que o L-triptofano pode ajudar as pessoas a adormecer mais rapidamente. 

Os resultados, no entanto, foram inconsistentes.

Lavanda

A lavanda, também conhecida por alfazema-verdadeira, alfazema ou lavanda-inglesa, é uma planta de flores violeta bastante conhecida por seu aroma. Apresenta vários benefícios para a saúde, tais como o auxílio no tratamento de câimbras, anúria (diminuição ou falta de produção de urina) e sinusite, por exemplo.

Pode ser consumida por infusão (chá) ou quando presente em produtos em formas de óleos e loções. No caso de pacientes com insônia, a lavanda é mais indicada como chá ou como óleo essencial.

Ao preferir o óleo essencial, o paciente pode optar por cheirar algumas gotinhas de lavanda próximo à hora de dormir ou fazer um travesseiro aromatizado. Para isso, basta colocar um pouco da lavanda dentro de um pacote de tecido e deixá-lo dentro da fronha do travesseiro.

Kava 

Foi demonstrado que o Kava melhora o sono em pessoas com insônia relacionada ao estresse. 

No entanto, o Kava pode causar danos no fígado, por isso não é recomendado, a menos que seja tomado sob supervisão médica.

Outras ervas que foram encontradas para ter um efeito calmante ou sedativo incluem erva-cidreira, maracujá e lavanda. 

Maracujá

Indico principalmente consumir o maracujá na forma de um chá quente. O calor irá ajudar a induzir a sensação de aconchego, ideal para a hora de dormir. [ 

A passiflora presente na planta do maracujá estimula o GABA – importante neurotransmissor que acalma, baixa os níveis de cortisol, baixa nosso estresse e melhora a qualidade do sono.

❗️ ALERTA: Informo que devido a ausência de estudos consistentes e regulamentação de algumas dessas substâncias naturais, converse e realize acompanhamento médico para verificar se você é candidato a utilizá-las. 

Natural não significa seguro

Enquanto alguns remédios, como erva-cidreira ou chá de camomila, geralmente são inofensivos, outros podem ter efeitos colaterais mais graves e interferir ou reduzir a eficácia dos medicamentos prescritos. 

Valeriana, por exemplo, pode interferir com anti-histamínicos e estatinas. Converse com seu médico

6 Dicas para um uso mais seguro de remédios para dormir

Dicas para um uso mais seguro de remédios para dormir

Se você decidir tentar remédios para dormir o lembre-se das seguintes recomendações:

#1. Nunca misture remédios para dormir com álcool ou outras drogas sedativas. 

O álcool não apenas atrapalha a qualidade do sono, mas aumenta os efeitos sedativos dos comprimidos para dormir. 

A combinação pode ser bastante perigosa e até mortal.

#2. Tome o remédio para dormir quando tiver tempo suficiente para pelo menos 7 a 8 horas de sono. 

Caso contrário, você poderá se sentir muito sonolento no dia seguinte.

#3. Não tome uma segunda dose no meio da noite. 

Pode ser perigoso dobrar sua dose e, com menos tempo para a medicação limpar seu sistema, pode ser difícil levantar-se na manhã seguinte e sacudir a sonolência.

#4. Comece com a dose mais baixa recomendada. 

Veja como a medicação afeta você e os tipos de efeitos colaterais que você experimenta.

#5. Evite o uso frequente. 

Para evitar dependência e minimizar efeitos adversos, tente economizar os remédios para dormir em situações de emergência, em vez de usar todas as noites.

#6. Nunca conduza um carro ou opere máquinas depois de tomar um comprimido para dormir. 

Essa dica é especialmente importante quando você começa a usar um novo remédio para dormir, pois talvez não saiba como isso o afetará.

Conclusão

Para finalizar oriento que nunca compre um remédio controlado sem uma orientação médica. É justamente essa automedicação que pode causar grandes danos a sua saúde .

Cada remédio para dormir possui uma ação diferente e, dependendo da dose, traz benefícios diferenciados para cada caso. 

Esses medicamentos existem para nos ajudar, portanto, é nosso dever observar com cuidado o modo de uso para termos resultados bons. 

Consultando um profissional especializado, todos os exames serão realizados, e dessa forma, um diagnóstico será feito, quando detectado a necessidade de remédio a dose será a correta, e também vai acontecer um acompanhamento do profissional.

Para ampliar os efeitos positivos e melhorar sua insônia, você pode aliar terapias alternativas, meditação, atividade física durante o dia, evitar cochilos e evitar substâncias estimulantes durante o dia.  

Conte nos comentários: como você tem enfrentando sua insônia?

blank
Dr. Luan Diego

1 Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conteúdo novo com prioridade

Receba novos conteúdos do blog direto no seu email
Agendar consulta

Agende uma consulta!

Psiquiatra em Brasília para tratamentos de Crise de Pânico, Depressão e Ansiedade. Verifique a disponibilidade de horários e faça seu agendamento online.
Agendar consulta
[email protected]
linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram
0 Compart.
Twittar
Compartilhar
Compartilhar
Pin