Oniomania: a doença das compras compulsivas

Dr. Luan Diego
,
8 de junho de 2020
Oniomania: a doença das compras compulsivas

Este é um guia completo sobre oniomania, a doença das compras compulsivas que atinge cerca de 5% da população brasileira.

Neste guia você irá saber:

  • Os primeiros sinais da oniomania
  • Os motivos que levam alguém a comprar de forma compulsiva
  • As consequências na vida pessoal e financeira
  • Como tratar a doença
  • Muito mais.

Por isso, se você quer saber mais sobre a compulsão por compras e como lidar com esse transtorno, continue lendo este artigo.

Sobre o Autor: Dr. Luan Diego Marques

CRM-DF 20486
Dr. Luan Diego Psiquiatra Online
  • Professor Colaborador da Faculdade de Medicina / UNB
  • Residência Médica em Psiquiatria pelo Hospital Universitário de Brasília – HUB/UnB
  • Médico formado pela Escola Superior de Ciências da Saúde (ESCS, 2013)

Antes de falar sobre a oniomania, precisamos entender o motivo que nos leva a comprar e os estágios das compras compulsivas:

Por que compramos?

Afinal das contas, por que compramos? 

O objetivo aqui não é falar somente sobre as compras que fazemos para as necessidades básicas de sobrevivência, como: comida, bebida, medicamento, produtos de higiene, essas coisas.

O foco aqui é falar sobre as compras feitas por impulso.

Então, vamos direto ao assunto.
Motivos da compra compulsiva

O ato de comprar, que no passado se resumia ao suprimento das necessidades, tornou-se uma válvula de escape para sentimentos e emoções. 

Há quem compre por estar triste, deprimido, insatisfeito e há quem o faça exatamente pelos motivos contrários: alegria, comemoração, celebração.

Além disso, o fator cultural tem papel super importante no hábito de comprar.

Imagine agora se eu te falar que vou viajar para Miami, provavelmente a ideia de compras já vem na cabeça.

O que eu quero é mostrar para você que, aquela sensação de bem estar e realização ao comprar coisas “além do seu padrão de vida”, vai ao chão quando chegam as primeiras faturas. 

A sensação de prazer, que você sentiu quando adquiriu novos produtos, vai embora… e os problemas aparecem.

Como a compra compulsiva está relacioada à doença mental?

Os 4 estágios cíclicos das compras compulsivas

1. Passado

De acordo com autores, família com muitos problemas, casos de doença mental na família, codependência dos cuidadores, uso de drogas e padrão de personalidade dos pais, representam todos os fatores de risco que afetam o desenvolvimento humano inicial.

2. Fatores de risco

O segundo estágio é determinado pelos fatores de risco internos e externos que incluem, entre outros, publicidade agressiva, uso de cartões de crédito, humor deprimido, transtornos de ansiedade ou um sentimento de insatisfação com si mesmo.

3. Compra

A terceira etapa é caracterizada pelas ações tomadas por um comprador compulsivo nas compras. Se a compra gera um grande alívio naquele momento, por exemplo, além de toda a importância do componente emocional, comportamental e cognitivo.

4. Pós-compra

A execução do ato (comprar um item) revela emoções negativas e estado de sentimento de culpa, o que resulta na condição do indivíduo afetado idêntico à segunda fase. Devido ao humor deprimido do comprador compulsivos e mal-estar gerado ele repete o ato de comprar e isso vira um ciclo vicioso.

Sinais e sintomas de compradores compulsivos

Agora que você já sabe o motivo das pessoas comprarem e os estágios das compras compulsivas, é hora de identificar os primeiros sinais.

Por isso, neste capítulo, irei mostrar 5 sintomas de compradores compulsivos e como é importante ficar atento a isso.

Portanto, se você já ficou na dúvida se está comprando demais, esse capítulo é para você.
Sinais e sintomas de compradores compulsivos

1. Esconder a compra

Compradores compulsivos muitas vezes compram coisas por impulso e costumam, também,  tentar esconder seus hábitos de compra. 

Gastar sem refletir adequadamente pode resultar em muitos itens fechados (caixas de sapatos ou roupas) em seus armários, à medida que continuam o ciclo de compra. 

Compradores compulsivos podem se transformar em acumuladores mais tarde na vida, depois que seus produtos se acumulam com o tempo. 

2. Muitas Compras

Compradores compulsivos experimentam uma onda de emoção quando compram. 

A experiência eufórica não é de possuir algo, mas do ato de comprá-lo. 

Essa onda de excitação costuma ocorrer quando eles veem um item desejável e consideram comprá-lo. 

E essa emoção pode se tornar viciante. O que é um grande perigo!

3. Comprar para reduzir a angústia

Compras compulsivas muitas vezes são uma tentativa de preencher um vazio emocional, como solidão, falta de controle ou falta de auto-estima. 

Muitas vezes, um clima negativo, como uma discussão ou frustração, desencadeia um desejo de comprar. 

No entanto, a diminuição das emoções negativas é temporária e é substituída por um aumento da ansiedade ou culpa. 

4. Culpa e remorso. 

As compras são seguidas por sentimentos de remorso. Sentem-se culpados e responsáveis ​​pelas compras. O resultado pode ser um ciclo vicioso, ou seja, o sentimento negativo alimenta outra "solução", comprando outra coisa.

5. A dor de pagar. 

Pagar com dinheiro é mais doloroso do que pagar com cartão de crédito. A principal força psicológica dos cartões de crédito é que eles separam o prazer de comprar e da dor de pagar. 

Os cartões de crédito nos seduzem a pensar nos aspectos positivos de uma compra.

Consequências da compulsão por compras

Fazer compras pode se tornar uma obsessão quando ocorre um padrão crônico e repetitivo. Assim sendo, comprar compulsivamente é doença!

Uma pessoa normal conhece seus limites e evita compras se não couber dentro de um determinado orçamento.

No entanto, uma pessoa que sofre com esta doença tenta acumular dinheiro de todas as formas possíveis (cartão de crédito, empréstimo e até roubar) para atender às suas necessidades de compra. 

Deste modo, isso causa alguns danos, vamos ver a seguir:
Consequências da compulsão por compras

Dano social

O desejo de compra pode ter consequências prejudiciais em várias áreas. Muitas vezes, essas pessoas são tão obcecadas com a ideia de compras, que não conseguem mais se concentrar no trabalho, nos hobbies e nos relacionamentos interpessoais.

Eles experimentam sentimentos de ansiedade e depressão por gastar tanto dinheiro, o que afetará diretamente o desempenho escolar e profissional.

Perda Financeira

O desejo de compra geralmente é acompanhado por problemas financeiros. Os pacientes costumam usar dinheiro que realmente não possuem, como abrir uma linha de crédito ou dinheiro emprestado de terceiros.

Muitas vezes, esses problemas são descobertos apenas quando a dívida financeira já aumentou tanto que apenas uma mudança drástica no estilo de vida pode oferecer uma solução.

Dano emocional

Compras e gastos estão associados a um sentimento de felicidade e poder, que se manifestará imediatamente após a atividade. No entanto, a culpa que se segue incentivará o paciente a comprar mais uma vez, para que ele possa experimentar o mesmo sentimento de felicidade.

Em comparação com  pessoas que não possuem hábitos de compras compulsivas, os pacientes com o transtorno tendem a ter limites de cartões de crédito mais altos e maior chance de efetuar o pagamento mínimo de seus saldos na fatura. 

As consequências adversas incluem falência, conflito familiar, divórcio, atividades ilegais e tentativas de suicídio. 

E é um importante fator de angústia e por isso merece atenção e cuidado.

Possíveis causas da oniomania

As causas do comprar compulsivo podem estar vinculadas à presença de algumas condições especiais que podem afetar a esfera psicológica das pessoas.

Que condições são essas?

É o que veremos nesse capítulo:
Possíveis causas da oniomania

O comportamento repetitivo e crônico de gastar descontroladamente gera consequências negativas para o indivíduo, além dos elevados índices de comorbidade (doenças relacionadas), como transtorno de humor e ansiedade.

Algumas condições psicológicas associadas às compras compulsivas são:

  • Privação emocional na infância 
  • Incapacidade de tolerar sentimentos negativos
  • Necessidade de preencher um vazio interior - vazio e com angústia por dentro
  • Procura de prazer, emoção e excitação
  • Procura de aprovação
  • Perfeccionismo
  • Ter personalidade impulsiva 
  • Personalidades com necessidade de controle 

Outra causa que está muito em pauta nos estudos sobre o tema é a história dos comportamentos da família, é comum que pacientes que apresentem a oniomania, tenham histórico familiar de algum impulso como jogos, bebidas ou sexo.

Além disso, existe uma relação entre os jovens que atingiram há pouco tempo a independência financeira, e que não conseguem ter controle dos impulsos na hora de realizar as compras.

Quais motivações levam uma pessoa a comprar compulsivamente?

Motivação hedonista ou do prazer supremo 

A compra é percebida como um processo agradável de muito significado. Durante o ato de comprar, nenhum sentimento de culpa está presente, e o impulso é frequentemente associado a um forte componente emocional

Motivação impulsiva

Esta motivação está intimamente associada a distúrbios de controle de impulso; formado sob a influência de estímulos externos; a execução do ato de comprar é mais dependente do componente afetivo, e não de julgamento; é geralmente determinado por fraca força de vontade e compulsão pela compra.

Motivação compensatória

Os itens adquiridos servem como objetos para aumentar a autoestima; geralmente se aplica a pessoas com baixa autoestima;

Motivação compulsiva

Fatores internos são importantes aqui, incluindo pensamentos de desejo intenso e ansiedade; o principal objetivo da ocorrência de comportamento compulsivo é para a redução da tensão; compras podem, neste caso, constituir o meio de fugir.

Motivação emocional e social

A sensação de prazer na compra vem das características estéticas da matéria inanimada adquirida ou do contato humano que ocorre durante as compras;

Motivação relacionada à identidade

Associada à externalização do próprio "eu" através da aquisição de itens.

Razões por trás das compras compulsivas

Doenças emocionais 

Os transtornos emocionais têm um papel de causa e consequência nos comportamentos de oniomania. 

É muito importante um olhar profissional para entender se este é o seu caso. 

Nos capítulos seguintes iremos explicar de forma detalhada sobre as principais doenças que acompanham as compras compulsivas. 

Solidão

Em muitas situações de compras em lojas físicas  precisamos nos relacionar, seja para pedir descontos ou pedir informações sobre um produto. 

Quando nos sentimos sozinhos acreditamos que lugares como shoppings e lojas irão reduzir essa sensação. 

Se relacionar é positivo, mas será que precisamos sempre gastar para termos companhia ?

Vício

O vício em gastar é um sintoma ou sinal de alerta da luz vermelha que indica sentimentos profundamente arraigados que se está tentando evitar enfrentar. 

Um viciado se entrega às compras para ajudar a entorpecer esses sentimentos perturbadores - por um tempo.

Diagnóstico da Oniomania

O diagnóstico existe, mas nem sempre é fácil, uma vez que muitas vezes o ato de comprar não é condenado pela sociedade – ao contrário, costuma ser estimulado por liquidações, promoções e "descontos imperdíveis".

Mas é fato que o hábito de comprar compulsivamente pode causar uma certa dependência: quanto mais você compra, mais quer gastar.

Por isso iremos explicar a seguir estratégias para identificar os sintomas e sinais que podem desencadear este impulso.
Diagnóstico da Oniomania

Quando o consumismo passa a ser uma doença?

Atualmente, existe um argumento razoável de que o transtorno de compra compulsiva possa ser definido como um vício. 

Existem muitas semelhanças entre comportamentos dos compradores compulsivos e um consumo patológico de substâncias psicoativas que inclui uma intensa compulsão pelo consumo, dependência pessoal e perda de controle sobre o seu próprio comportamento.

Além de sérios problemas financeiros, os compradores compulsivos podem sofrer de acentuada angústia. 

Os dados de pesquisas mostram que compradores compulsivos sofrem de níveis anormalmente altos de depressão e ansiedade. 

Esta pesquisa da professora Koran que foi conduzida de forma aleatória, com pesquisa telefônica nacional nos EUA, pesquisadores treinados entrevistaram 2513 adultos usando a Escala de Compra Compulsiva (CBS) clinicamente validada, incorporada em uma entrevista estruturada e computadorizada. 

Os pesquisadores encontraram uma prevalência pontual de compra compulsiva de 5,8% na pesquisa.

Segundo Koran, professora emérita de Psiquiatria e Ciências do Comportamento na Universidade de Stanford, na Califórnia, a compra compulsiva pode ser classificada na categoria DSM V no setor de transtornos do controle de impulso. 

Os dados que apontam para o diagnóstico incluem:

  • Estar frequentemente preocupado com a compra
  • Impulsos irresistíveis para o hábito de comprar
  • Comprar com frequência itens desnecessários
  • Comprar por períodos mais longos que os pretendidos
  • Problemas familiares com o excesso de compras
  • Problemas financeiros 

Outros comportamentos e emoções têm sido associados a causas potenciais de oniomania, sendo importante para seu diagnóstico, como:

Diagnóstico da Oniomania

Às vezes, é difícil determinar se os gastos estão sendo compulsivos porque quase todo mundo compra em algum grau, mas acredita-se que apenas 5% da população possua esses vícios compulsivos.  

Com esses sintomas, podemos ver a grande diferença entre a pessoa que gosta de comprar, e a pessoa que de fato apresenta a doença. 

Uma pessoa somente consumista compra acima da média por ser influenciado pela sociedade, mas não vive todos prejuízos e sintomas relatados acima. 

Porém, essa pessoa que é consumista apenas tem mecanismos para parar de comprar quando quiser, ou mesmo para saber que a sua condição financeira não permite mais, uma pessoa consumista não falta ao trabalho ou mente para ir às compras, por exemplo.

O que fazer para tratar a compulsão por compras?

Agora que você conheceu todos os sintomas e causas da oniomania é importante saber como tratá-la.
O que fazer para tratar a compulsão por compras?

O primeiro passo – e talvez mais difícil – é ter consciência de que há um problema e de que precisa de ajuda. Depois, é hora de buscar auxílio.

O tratamento alia a psicologia e psiquiatria, uma vez que as compulsões normalmente vêm associadas a transtornos de ansiedade ou à depressão, condições que podem ter origem biológica e necessitar medicação. No entanto, nem todo paciente precisa tomar remédio. 

A terapia em grupo também costuma funcionar e ter bons resultados, pois durante a dinâmica as pessoas que compartilham da mesma situação conseguem expor suas inseguranças, ansiedades e sensações que as compras podem trazer, o que pode tornar mais fácil o processo de aceitação do transtorno e resolução da oniomania.

Ter uma planilha de organização dos gastos diários e semanais

Apesar de parecer trabalhoso, ter uma planilha gera uma consciência por parte da pessoa sobre seus gastos e essa percepção ajuda no manejo dos impulsos de comprar. 

A impulsividade por comprar pode se tornar gradativamente um hábito, que leva  nosso cérebro aprender aquele comportamento sem pensar muito. Planilhas justamente treinam a pessoa a ter mais consciência deste processo.

Reconhecer os facilitadores de compras

Outro recurso é observar quais são as situações que você observa que te levam a correr logo para o computador ou lojas para comprar. 

Conflitos amorosos, familiares e com amigos tendem a ser gatilhos para ansiedade. Na verdade, tudo que te leva a ansiedade precisa ser observado. 

Cancelar o cartão de crédito

Sem dúvida o maior facilitador relatado pelos pacientes é o cartão de crédito, recomendo fortemente que seja iniciado um processo de retirada gradual do limite até um cancelamento total do cartão, se possível. 

Pagar suas compras no dinheiro gera uma união da idéia de gastar dinheiro com a de comprar um produto. O cartão de crédito gera uma sensação em nós de poder e isso alimenta mais nossos impulsos. 

Evitar realizar encontros em shoppings

Optar por cinemas externos e desvincular que apenas bens materiais podem alegrar você e as pessoas que gostamos. Além disso, preferir encontros em locais abertos, principalmente no início do tratamento, fará você evitar a famosa "tentação". 

Se você tem aquele amigo ou amiga  que também é gastador você pode pedir para não receber convites para compras e, se sentir à vontade, pode comunicar que isso é importante em seu processo de tratamento. 

Medicações

Percebeu que as medicações é apenas um pedaço do tratamento né ? 

E é isso mesmo, um médico psiquiatra pode prescrever medicações que auxiliem  os pacientes com sintomas de oniomania a controlar a ansiedade, melhorar o humor e equilibrar os impulsos. 

Os medicamentos para tratar compulsão por compras mais estudados são os antidepressivos inibidores seletivos de recaptação de serotonina. 

Grupos Terapêuticos de Ajuda

Hoje em dia a terapia cognitiva e comportamental tem sido a mais estudadas para o tratamento de compras compulsivas. Grupos específicos para situações de compras compulsivas já se mostrou como uma boa ferramenta para troca de experiências. 

Além disso, grupos promovem um ambiente de maior aceitação para lidar com as compras compulsivas.  

Uma das dificuldades em pessoas que compram compulsivamente é cuidar das suas relações pessoais, portanto é importante aprender novas estratégias de habilidades sociais.

Devemos lembrar que o indivíduo com oniomania pode se comportar como uma pessoa com uma dependência.

É difícil admitir este comportamento, mas é preciso para que ocorra um bom tratamento. 

É muito comum eu ser questionado no consultório qual o tratamento para o consumismo. Mesmo que você não tenha oniomania as dicas acima podem ajudar no consumismo excessivo. 

Principais doenças associadas à compulsão por compras

Antes de começar a tratar a oniomania temos que saber que outras doenças podem acompanhá-la.

Saber se você possui outro diagnóstico associado é de extrema importância para o tratamento, por isso procurar um profissional com experiência em saúde mental se faz necessário. 

Então, conheça abaixo quais são as outras doenças que podem se associar à compulsão por compras:
Principais doenças associadas à compulsão por compras

Depressão

A depressão afeta a maneira como você se sente, pensa e lida com atividades diárias, como dormir, ter prazeres  ou trabalhar.

Entre 25 e 35%  dos compradores compulsivos têm depressão maior, mas para os estudos ainda não está claro quem começa primeiro,  provavelmente essas situações se retroalimentam.

Não é raro que a tristeza seja confundida com o transtorno depressivo. Por mais que ela seja sim um dos principais sintomas, sentir-se triste nem sempre significa depressão.

Muitas técnicas psicoterapêuticas e medicamentos que são utilizados para depressão também auxiliam no tratamento das compras compulsivas. 

Ansiedade

A ansiedade é um dos transtornos emocionais que está mais presente na vida das pessoas, principalmente na vida dos brasileiros. No ano de 2019, o Brasil foi considerado pela OMS o país mais ansioso do mundo!

Os transtornos de ansiedade podem envolver outros comportamentos como dificuldade no controle de impulsos, por exemplo a tricotilomania, que é a mania de algumas pessoas de arrancar cabelos ou pêlos do corpo. 

Skin picking é outro sinal de ansiedade pouco falado mas que muitos pacientes vivenciam, este comportamento caracteriza-se por uma compulsão em tocar, coçar, arranhar, limpar ou "fuçar" a pele continuamente, até que se criem lesões.

Como os distúrbios de controle de impulso tendem a andar juntos com os transtornos de ansiedade, seria útil pesquisar ansiedade e depressão em  qualquer pessoa com um sintomas de compras compulsivas e vice-versa. 

Uma forma frequente que realizo em consultório para pesquisar chances de diagnosticar Transtorno de Compras Compulsivas: 

Você acha que costuma fazer compras por períodos mais longos do que pretende, com consequências ruins?

Você acha que frequentemente compra coisas que não precisa, não usa e/ou não pode pagar?

Como ajudar alguém com compulsão por compras?

É muito difícil assistir a uma pessoa querida passar por prejuízos financeiros e conflitos familiares devido o comportamento de compras compulsivas.

A pessoa que tem oniomania já vive com dezenas de preocupações que não são totalmente suas ou racionais, já que a ansiedade é algo muito frequente.

Quem deseja ajudar precisa compreender como a compulsão por compras funciona e se manifesta e já cobrimos isso capítulo de sinais e sintomas.

Agora separei 5 dicas para ajudar um comprador compulsivo.

Vamos lá.
Como ajudar alguém com compulsão por compras?

Postura de não julgamento

O excesso de julgamento e regras tendem criar um ambiente ameaçador para a pessoa que vive sintomas de compulsão por compras. Saber que no início do tratamento recaídas podem ocorrer ajuda a minimizar sensações de frustração pela família e pelo paciente.

Por meio de uma escuta reflexiva, você acolhe e compreende o ponto de vista do outro sem necessariamente concordar com ele. Frases como “entendo o que você diz” ou “partindo do seu ponto de vista” são valiosos instrumentos a serem usados nesse princípio.

Comemorar conquistas junto com a pessoa

Durante o tratamento a pessoa pode viver muitos altos e baixos, procure sempre motivar. Por exemplo, dizer a pessoa: “ observe as mudanças pelas quais você está passando", seja positiva ou negativa, é validadora, solidária e encorajadora, além de demonstrar acolhimento.

Este princípio está relacionado à motivação primária que a pessoa tem em si mesma, em sua capacidade de mudança. Encorajar e estimular cada passo são atos importantes para que ela se sinta fortalecida e permaneça firme no decorrer do caminho.

Realizar Metas de cuidado realistas e factíveis

Para muitas famílias, após perceber que a pessoa é dependente por compras, o primeiro impulso é querer assumir o controle, impondo castigos e fazendo comparações. Não tenha essa reação, pois ela pode fazer a pessoa se afastar, o que contribui para afundá-la ainda mais na compulsão por compras.

É como o excesso de expectativas no início do tratamento com metas pouco realistas na prática, isso faz com que o paciente corra o risco de se desmotivar fácil do tratamento e achar que "não tem cura". 

Mostre aos poucos a diferença entre seu comportamento, suas metas possíveis e o que ele pensa que deveria fazer para alcançá-las. Use a figura do “caminho”, ilustrando onde ele está agora, aonde quer chegar, qual o melhor trajeto a percorrer para atingir o ponto de chegada.

Motivar a pessoa a ter seu próprio cuidado sem imposições

Para alcançar a proximidade com a pessoa que tenha oniomania, especialmente quando se trata de um familiar muito próximo, esteja sempre alerta e vigilante com seu modo de falar. Palavras negativas e xingamentos terão efeito contrário e contribuirão para piorar a convivência.

Para isso, é essencial estabelecer controle emocional, não deixando que o nervosismo e a decepção invadam você e alcancem as palavras, pois, uma vez ditas, elas não voltam atrás.

Sempre que estiver acompanhando alguém com compulsão por compras, busque palavras para incentivar e demonstrar atitudes positivas, evitando brigas e conflitos. Isso não significa compactuar com os erros, mas criar uma conversa amigável, prazerosa, confiável e de proximidade, pois o foco é promover a ajuda necessária.

Uma estratégia pode ser apontar alguns comportamentos que não são aprovados, sem exagerar nas críticas ou ameaçar com punições. Em seguida, ofereça sua presença como um suporte na tentativa de buscar o tratamento.

Encorajar o paciente a ter um papel ativo em seu tratamento sem dúvidas é uma das ferramentas que mais solidificam a melhora. 

Estimular um convívio social saudável

Como já abordado, muitas vezes uma das razões para compras compulsivas é a necessidade de se sentir aceito ou incluído. Nesse sentido, o seio familiar tem uma essencial atribuição: fazer a pessoa se sentir parte de um grupo, pelo qual ela pode ser amparada nos momentos de dificuldade. 

O acolhimento da família vai desencadear no indivíduo com dependência por compras o sentimento de pertencimento. Logo, saber que não está solitário nessa batalha contra esses impulsos é condição eficaz para revitalização.

Dicas Práticas

Sair de um estado compulsivo pode ser muito difícil, ainda mais na era digital onde estamos expostos a todo tipo de propaganda e a todo momento.

Portanto, neste capítulo separei dicas práticas que você mesmo pode aplicar para lidar com a oniomania.

Vamos direto para as dicas.
Dicas Práticas Oniomania

Reduzir tentações

Você deve evitar se cadastrar em sites de promoções já que todas as propagandas possuem uma intenção de induzir compras e mais compras. Logo, fornecer seu email e telefone pode abrir um espaço de comunicação para várias ofertas perigosas. 

Faça listas antes de ir à loja

Você já ouviu falar que ir ao mercado com fome nos faz gastar mais? Sim, isso é uma verdade. 

Nossos comportamentos são muitas vezes guiados pelas nossas emoções e sensações, se eu estiver com fome ao ir para o supermercado sem dúvida isso me estimulará a comprar mais comidas gostosas. 

Na compulsão por compras é a mesma coisa, por isso, ir determinado com uma lista prévia pode te ajudar manter o foco do que é preciso. 

Compre apenas o que você precisa

O efeito Diderot é baseado no fato de que as compras levam você a mais compras. Os objetos que já temos começam a parecer velhos e decidimos trocá-los. Este processo parece interminável, uma vez que o novo logo se torna velho e requer novamente uma substituição.

Desenvolver a habilidade de dizer não para vendedores é importante neste processo. Sempre questione-se se aquela compra estava nos seus planos nos últimos anos ou tende a ser apenas um desejo pontual. 

Se precisar ir ao Shopping tente ir com  um amigo de confiança que não tenha o mesmo comportamento. 

Ter pessoas próximas que entendem seu processo e tratamento ajudará em frear os comportamentos impulsivos, sem dizer que o próprio comportamento de se sociabilizar pode reduzir as tensões e chances de compras.

Questiona-se se você precisa disso ou apenas quer? 

O desejo parte de nossas emoções, por isso  se conhecer é uma parte crucial do tratamento. Muitas de nossas compras partem de desejos e não de necessidades reais. 

Se você enfrenta problemas com compras compulsivas é importante saber que limitar os pensamentos de "eu posso, eu mereço" pode fazer você construir outras formas de lidar com os desejos e frustrações.

Desenvolver outras maneiras de lidar com emoções desagradáveis

Ninguém gosta de sentir angústia, ansiedade e tristeza, mas é importante dizer que a forma como lidamos com essas sensações podem contribuir para aumentá-las ou diminuí-las no futuro. 

Ter as compras compulsivas como estratégia frente a angústia só fará alimentar problemas e você nunca sair desse ciclo.

Pense e pesquise novas formas quando esses momentos acontecerem. Por exemplo, meditar, fazer uma atividade física ou algum trabalho manual tende a ser estratégias interessantes. 

Mas não se esqueça que essa atividade precisa se basear em algo que você se conecte, então é hora de colocar a criatividade para funcionar. 

Conclusão

Agora que você já entendeu um pouco mais sobre o que é oniomania e algumas estratégias para lidar com as compras compulsivas, espero que sua mente esteja um pouco mais aberta para entender que é preciso cuidar para que este comportamento não se agrave. 

E se você sente algum sintoma, o menor que seja, não deixe de procurar um profissional de saúde mental.

Deixe seu comentário ou sugestão de temas para que eu possa realizar mais conteúdos completos como este.

conclusão oniomania
blank
Dr. Luan Diego

8 Comentários

  1. Muito boa as informações. Em tempos de tantas pessoas ansiosas e a facilidade de compras on line torna-se necessário falar sobre o tema. Parabéns pelo guia, irá ajudar muitas pessoas.

  2. Obrigado pela iniciativa de compartilhar este conteúdo. Convivo com uma pessoa próxima que ainda não percebe os sintomas, que são muito claros. Agora tenho mais elementos para ajudá-lo.

  3. Muito relevante o tema e excelente abordagem. Quando os vícios são escondidos pela legalidade e estimulados por uma cultura que estimula o consumo, são muito mais nocivos e difíceis de se perceber e diagnosticar! O artigo é uma excelente ferramenta para ajudar quem sofre e quem convive com quem sofre dessa doença! Parabéns pela clareza, objetividade e qualidade do trabalho!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conteúdo novo com prioridade

Receba novos conteúdos do blog direto no seu email
Agendar consulta

Agende uma consulta!

Psiquiatra em Brasília para tratamentos de Crise de Pânico, Depressão e Ansiedade. Verifique a disponibilidade de horários e faça seu agendamento online.
Agendar consulta
[email protected]
linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram
39 Compart.
Twittar
Compartilhar37
Compartilhar
Pin2